Pesquisar no site


Contato

Secretaria Paroquial
QNM 29 Módulo K
Cep: 72215-290
Ceilândia Sul - DF
facebook oficial: https://www.facebook.com/paroquia.santoantonio.503/?ref=hl

Fone (fax): (61) 3373-3218
Celular: (61)

E-mail: psantonio.ceilandia@gmail.com

CRISTO RESSUSCITOU! VERDADEIRAMENTE RESSUSCITOU!

31/03/2013 11:32

Vivemos agora o momento da pedra removida no sepulcro, que já não contém mais um corpo morto, e sim sinais d’Aquele que  está vivo, ressuscitado! Os apóstolos correram para ver o que as mulheres piedosas viram por primeiro, apenas os lençois que não envolviam mais corpo algum. Os anjos disseram-lhes, Ele não está mais aqui, ressuscitou! Constataram aquilo que se havia previsto, mas não tinham credibilidade na sociedade da época. Pedro e o apóstolo João viram os sinais e confirmaram. Hoje  nós temos vivido a ressurreição, que é também para nós, que nem a pedimos. Estávamos perdidos e sem chance, aliás toda a humanidade assim se encontrava antes desse Cristo ressuscitar. Mas como se canta no pregão pascal da vigília que vivemos na última noite, “exultem os coros dos anjos e a assembléia celestial, alegre-se a terra inundada da nova luz! Por que o Cristo pagou por todos, a dívida de Adão”. Como poderíamos entender a lógica de Deus, que para resgatar o escravo, sacrifica o filho?  É digna de reconhecimento, essa atitude por nós? É a lógica do amor, da caridade, do que não pensa em si, mas na felicidade dos que ama. Essa lógica é contrária a que vemos no mundo hoje em dia, por isso o mundo se encontra em desequilíbrio, em desespero, em situação de morte e pecado. Deus ainda assim não desiste de nenhum dos seus filhos, para que esse sacrifício não seja invalidado por nenhum de nós. É o sacrifício para que todos tenham vida e a tenham em abundância, conforme o Cristo nos afirma no evangelho.

Mas continuemos com o tema pascal que nos coloca: que dívida é essa que Ele pagou por nós? Muitos de nós hoje em dia nem achamos que temos tal dívida. Vivemos num mundo dito laico, e “livre” sem medos e politicamente correto, onde se “pode” expressar tudo a todo momento. Por que teríamos medo e precisaríamos de alguém que nos livrasse dessa tal morte. O homem de hoje não tem a noção de sua condição de pecado e desconhecimento da verdadeira vida que vem de Deus, por isso vive como se não fosse morrer. Por isso muitas vezes quando se defronta com a realidade da morte e da precariedade, coisas próprias dessa vida, se desespera e não aceita e sofre, e sofre muito de diversas formas. Deus nos criou para a felicidade, nós a perdemos quando fomos expulsos do paraíso, em Adão. Realmente teríamos de fato, motivo para o desespero. E  o que se apresenta hoje então para nós com a ressurreição de Cristo? A possibilidade de não acabarmos por aqui. São Paulo quando escreve aos coríntios, (2 Cor 5,1.6-10) diz que essa nossa morada humana, o corpo que temos é uma tenda, uma morada passageira. O que quis dizer com isto? Nos deu a noção de que essa vida passageira não é a pensada por Deus para nós. É onde estamos exilados e longe do Senhor da vida, não é a melhor, mas é limitada, cheia de precariedades, onde sentimos fome, sede, frio, dor, ficamos doentes, velhos, onde ás vezes querendo fazer o bem e nos sai o mal, onde ofendemos aos irmãos até sem querer, onde vivemos em busca de felicidade, em busca de algo que nos preencha em definitivo com felicidade. É isso mesmo! Todos buscamos felicidade, e isso não é mau, pois foi para isto que Deus nos criou, para a felicidade! Mas nesse mundo passageiro, nessa tenda, isso não se realizará. Enfim, fomos criados para estarmos diante dessa felicidade que é Ele, Deus. Por isso a ressureição de Cristo nos é muitíssimo importante, é a chance de podermos retornar a condição para a qual fomos criados, ou seja, a felicidade, estar diante de nosso Criador! Por isso celebremos agora esses cinquenta dias de festas pascais, sem pecado, pois o coração agradecido daqueles que se sentem agora, ressuscitados com Ele, O amam e não O querem desagradar, por pura vontade de manter essa felicidade, típica do céu. O desejo de viver essa verdadeira felicidade que já começou aqui nessa festa da Páscoa, nos leva a desejar morar na casa do pai. O que vivemos aqui não tem comparação com o que viveremos no céu, nos promete o Senhor.

Cristo ressuscitou, verdadeiramente ressuscitou!!!!

PASCOM SANTO ANTÔNIO

Diácono Valney 31/03/2013