Pesquisar no site


Contato

Secretaria Paroquial
QNM 29 Módulo K
Cep: 72215-290
Ceilândia Sul - DF
facebook oficial: https://www.facebook.com/paroquia.santoantonio.503/?ref=hl

Fone (fax): (61) 3373-3218
Celular: (61)

E-mail: psantonio.ceilandia@gmail.com

Dom Leonardo apresenta Encíclica Laudato Si’ em evento na Câmara dos Deputados

21/07/2015 11:31

CNBB - O bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), do Leonardo Steiner, apresentou a Encíclica do papa Francisco, Laudato Si'', a deputados, senadores e representantes de entidades da sociedade civil que participaram de evento promovido pela Frente Ambientalista, na Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira, 8.

Segundo dom Leonardo, o desejo do papa de tratar com profundidade sobre o tema estava presente desde o início de seu pontificado. Ele relatou ter se encontrado com o pontífice há dois anos, ocasião em que recebeu uma resposta positiva do mesmo quanto a uma encíclica sobre o meio ambiente.

Para o secretário geral, o texto do papa é inovador até no título, mantido em italiano, língua original da oração de São Francisco de Assis, evocada por “Laudato Si’”, ao invés do tradicional latim.

A noção central da encíclica, segundo dom Leonardo, está na palavra “relações” em suas diversas acepções. “Trata-se da relação entre nós, pessoas humanas;  da relação entre pessoas humanas e os seres animados e inanimados; das relações internacionais; a da relação, do cuidado, do ser humano com os pobres; da relação que estabelecemos com – usando a expressão de São Francisco – a mãe Terra, com a irmã Terra”, explicou. Ele acrescentou que a carta do papa defende uma relação fundamentada na ética e na responsabilidade, contestante à relação antropocêntrica, que retira da natureza tudo que está ao seu dispor.

O bispo pontua que é hora de ultrapassar a dominação, o consumismo e a exploração, que estão destruindo o planeta, para uma atitude de mais cuidado e cultivo, como sugere o papa no título “Cuidado da Casa Comum”. Para isso, acredita ele, são importantes as responsabilidades dos governos locais e internacionais.

Questões como desmatamento, agrotóxicos, povos tradicionais e sobretudo a preocupação com os pobres, os mais atingidos pela degradação do meio ambiente, são outros aspectos abordados na Encíclica. A maior crítica, no entanto, é ao fato de que os interesses econômicos estão determinando a relação dos humanos com a Terra. “Faço votos que a gente possa estabelecer novas relações, do cultivo e do cuidado”, expressou dom Leonardo.

Diácono Valney